No jardim das ninfas

Sandro Botticelli morreu duas vezes. Uma vez na vida real e outra na arte. Vasari diz na Vida dos Artistas que ele foi um jovem “agradável e brincalhão”, em cujo ateliê “se faziam facécias e gracejos”, e também as “intrigas e chalaças” que o levaram à derrocada.