Editorial

Resgatar fachadas dos edifícios e revitalizar o Centro da capital é tema recorrente a cada administração que assume a cidade. Isso demonstra o incômodo provocado pelos letreiros que escondem nosso patrimônio Art déco.

Reportagem nesta edição mostra que nos últimos 20 anos, nove projetos tentaram incentivar empresários e moradores a cuidar melhor dessa parte da cidade, mas quase nada saiu do papel.

Enquanto as ideias ficam na teoria, a arquitetura dos primórdios de Goiânia perde memória ao ser sufocada pela poluição visual. Muitos sequer imaginam quanta beleza há cravada nos imóveis e que hoje está por trás dos anúncios em forma de placas e luminárias.

Recuperar essa história e garantir segurança aos visitantes é unanimidade entre autoridades e população, mas as iniciativas não avançam. Tanto que a Prefeitura pretende estender até 2023 o prazo de adesão ao projeto que prevê isenção de IPTU, pois ninguém aderiu à proposta dentro do período estabelecido, que era até janeiro.

É preciso sensibilizar os envolvidos sobre a necessidade de se preservar e cuidar do patrimônio, garantir segurança e apresentar atrativos para que o berço da cidade volte a ser lugar de convivência agradável ao cidadão e rentável aos comerciantes.

Escolha seu assunto favorito.
E-mail registrado com sucesso!
A partir de agora você receberá seus assuntos preferidos por e-mail.

Navegue pelo assunto:

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários