Como os chamados “vícios” são as maiores queixas dos consumidores na Superintendência de Proteção aos Direitos do Consumidor (Procon-Goiás), o gerente do Contencioso Administrativo do órgão, Edimar Rosa da Conceição, afirma que é preciso tomar alguns cuidados no momento de concretizar a compra do carro zero. “Na hora de tirar o veículo da concessionária, faça uma inspeção bem cuidadosa, com bastante cautela, para ver se o produto, se o veículo adquirido, realmente está em perfeitas condições”, diz.

O gerente afirma que a atenção inclui conferir a nota fiscal e se o termo de garantia está no nome do proprietário, caso seja necessário acioná-la, como foi para o advogado Georges Ferreira. “Tive um problema no meu carro, que era um barulho na coluna de direção dianteira direita. O meu não era zero, mas estava na garantia. Disse que levaria o caso para a Justiça e no outro dia o problema estava resolvido”, afirma Georges.

Além disso, segundo o gerente do Procon Goiás, é preciso estar atento ao contrato, observando os itens que estão realmente previstos, já que muitas vezes há a oferta, pelo vendedor, de “brindes” como o protetor de carter, sensor de estacionamento, câmera de ré. “Isso acaba acarretando outro transtorno ao consumidor. Quando vai retirar, isso não está no veículo. E a concessionária acaba cobrando a mais por isso também”, afirma Edimar.

Os cuidados ao finalizar a compra e ao retirar o veículo não são garantia de que não haverão problemas, mas podem evitar frustrações e transtornos. “Fizeram um ótima venda, me deram um bom preço. Fico triste porque comprei um carro novo e até hoje não tive um carro novo. Por mais que fale que ele é novo, mas tem características de um carro que não é novo. Ainda não vivi a experiência de adquirir e utilizar um carro novo”, afirma o empresário e jornalista Luís Eduardo Dantas.