Folha Press

O ministro da Saúde, Nelson Teich, disse nesta quinta-feira (30) que uma flexibilização do distanciamento social não deve ocorrer enquanto casos do novo coronavírus estiverem em “franca ascensão”.

A flexibilização do distanciamento social é defendida enfaticamente pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O assunto foi um dos pontos de tensão entre o presidente e o ex-ministro Henrique Mandetta e é constantemente usado pelo chefe do Executivo para criticar prefeitos e governadores.

“A gente tem uma diretriz, a gente tem um ponto de partida, mas algumas coisas são básicas: não dá para você começar uma liberação quando você tem uma curva em franca ascendência”, disse.

“Neste momento, a gente tem uma definição clara: o distanciamento permanece como a orientação”, completou.

Ele voltou a frisar, no entanto, a intenção da pasta em fazer uma diretriz que deve recomendar parâmetros de análise a estados e municípios para o distanciamento social.

A decisão por fazer mudanças, no entanto, deve ficar a cargo de estados e municípios, afirma. “Estamos trabalhando a parte de teste, melhorando a infraestrutura, acompanhando a evolução dos casos, tentando buscar um ponto de inflexão da curva. O dia em que todos esses critérios estiverem preenchidos, a gente vai estar dando dentro da diretriz um ok para que se possa fazer uma tentativa de flexibilizar”, disse. “Mas, neste momento, ninguém está pensando em flexibilizar nada.”

Escolha seu assunto favorito.
E-mail registrado com sucesso!
A partir de agora você receberá seus assuntos preferidos por e-mail.
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários