Imagens feitas por celular também flagraram a ação de membros do GPT (Foto: Reprodução)

Redação O POPULAR

A Polícia Civil de Goiás, com colaboração do Ministério Público e da Corregedoria da Polícia Militar, cumpriu na noite desta quinta-feira (30) os mandados de prisão temporária dos policiais militares investigados pelas mortes ocorridas em Senador Canedo. A prisão temporária por 30 dias do segundo sargento Gilmar Alves dos Santos, de 39 anos, e do soldado Paulo Márcio Tavares, de 29, havia sido decretada pela Justiça de Goiás. Eles são apontados como responsáveis pelos 19 disparos que mataram o auxiliar de produção Tiago Messias Ribeiro, de 31 anos, e o adolescente Marco Antônio Pereira de Brito, de 17 anos.

O responsável pela defesa da dupla, o advogado Ricardo Naves, informou que entrará nesta sexta-feira (1º) com pedido de habeas corpus para liberar seus clientes. Segundo ele, os policiais foram levados para o Batalhão Anhanguera, no Setor Marista.

A decisão do juiz Thulio Marco Miranda também ordena o afastamento de outros dois PMs que faziam parte da equipe de Paulo e Gilmar no momento da abordagem.

No texto da decisão, o juiz diz que as prisões são necessárias para que as investigações não sejam prejudicadas, já que imagens de câmeras de segurança revelaram que os policiais suspeitos modificaram a cena do crime e tentavam dispersar as testemunhas presentes no local.

“Tais delitos ocorreram em circunstâncias de extrema gravidade e trouxeram fortíssimo abalo social, face ao possível envolvimento de agentes públicos responsáveis por zelar pela segurança e tranquilidade do povo”, diz trecho da decisão.

Além disso, o juiz diz entender que a permanência dos policiais acusados em suas funções levaria a um descrédito da instituição PM e permitiria que eles repetissem os crimes.

O pedido das prisões foi feito na última quarta-feira pela Corregedoria da PM e pelo Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO). Paralelamente, o Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Senador Canedo está investigando o caso. A esposa da vítima Tiago, a dona de casa Rowena Gonçalves, depôs durante a tarde de ontem.

Escolha seu assunto favorito.
E-mail registrado com sucesso!
A partir de agora você receberá seus assuntos preferidos por e-mail.
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários