O Senado dos Estados Unidos decidiu neste domingo (31) continuar a debater o plano sobre a elevação do teto da dívida apresentada pelo líder democrata Harry Reid, reduzindo a possibilidade da proposta ser votada antes de terça-feira (2). As informações são da agência espanhola EFE.

Com 50 votos a favor e 49 contra, o líder democrata não conseguiu a maioria que necessitava para pôr fim ao debate e dar “luz verde” à votação do plano para aumentar o teto de endividamento. O plano dos democratas, aliados do presidente Barack Obama, já tinha sido rejeitado sábado (30) na Câmara de Representantes (deputados). A proposta dos democratas é uma elevação maior que a dos republicanos. A dívida americana hoje está em R$ 14,3 trilhões.

Entretanto, Reid afirmou, depois da votação, que tem “esperança e confia” que o acordo em negociação pelo líder republicano no Senado, Mitch McConnell, com o governo de Obama, “pode ir em frente”, embora tenha ressalvado que “ainda não é uma certeza”.

Ainda que o líder democrata tenha a possibilidade de voltar a apresentar o seu plano ao Senado para conseguir votá-lo, o mais provável é que os senadores apreciem o projeto que está em negociação na Casa Branca.