Redação O POPULAR

Não há dúvidas da importância de métricas capazes de oferecer elementos
de comparação na educação. Mecanismos como a Prova Brasil, que mede o desempenho em português e matemática, e o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, que agrega a esses dados a questão da aprovação dos alunos, são exemplos desse esforço.

Porém, esse exercício comparativo se perde na medida em que é desconsiderado o porcentual de crianças fora da escola.

Para corrigir essa impossibilidade analítica, foi criado pelo Centro de Liderança Pública o Índice de Oportunidades da Educação Brasileira (IOEB). Ao incluir na conta as crianças e adolescentes que deveriam estar na escola e não estão, o IOEB responsabiliza, de forma inédita, municípios e Estados pela educação de todos, e não somente pelos que estão na escola.

Nesse contexto, destaca- se o direcionamento das emendas impositivas na Câmara de Vereadores de Goiânia, objeto de reportagem na edição de segunda-feira. Das 74 propostas acatadas pela Prefeitura, 27 vão para a educação - notadamente em obras capazes de elevar o número de vagas. A ampliação da acolhida deve receber atenção permanente.

Escolha seu assunto favorito.
E-mail registrado com sucesso!
A partir de agora você receberá seus assuntos preferidos por e-mail.

Navegue pelo assunto:

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários